Vox Dei nº 452 de 21 de maio de 2017

O TEU ESPÍRITO ME CONSOLA E ENCORAJA

 

Amados irmãos (as).

 

A uma semana da Solenidade da Ascensão do Senhor a Igreja nos convida com a liturgia deste domingo, que é continuidade da liturgia do domingo passado, a prepararmo-nos para sua partida física de nosso mundo. O trecho do Evangelho de hoje é a segunda parte do primeiro discurso de despedida e tem como ponto central o amor dos discípulos a Jesus, expresso através da observância dos seus mandamentos. Jesus promete a eles o dom do Espírito da Verdade e assegura a sua presença a todo aquele que observar seus mandamentos. Essa notícia foi motivo de consolo e encorajamento para os discípulos e o é, hoje, para nós pois sabemos que Jesus nunca nos deixará sem rumo. Tal como o Povo de Israel que, no deserto, diante de si levava a arca da aliança com as tábuas dos mandamentos, representação da Presença de Deus em seu meio, a Igreja e cada um de nós, ao guardarmos e observarmos os mandamentos do Senhor, poderemos contar com a certeza da sua presença em nós e entre nós, não mais apenas sensível (física), mas espiritual e interior, pela fé. É uma presença tremenda que nos enche de coragem e ânimo para enfrentarmos os obstáculos e dificuldades. Mas, para desfrutarmos dessa graça é preciso que antes, observemos seus mandamentos. Já ouvi muitas pessoas queixando-se (eu mesmo já fiz isso) de não sentir Jesus atuando em sua vida diária, a tal ponto de chegarem a afirmar que Deus tem coisa muito mais importante a fazer do que se preocupar com seus problemas. Julgam que Deus está afastado delas. Será mesmo assim ou será que elas é que estão afastadas de Deus? Todas as vezes que não observamos os mandamentos de Jesus, o afastamos de nossa vida. Não é Ele quem se afasta! Todas as vezes que nosso comportamento contraria a vontade de Deus trazendo prejuízos aos nossos irmãos e à nós mesmos, somos nós que dizemos a Ele: "sai fora, vou fazer ou vou agir do jeito que eu quero!" 

Assim, se quisermos sentir a presença de Jesus e o consolo do seu Espírito, precisamos, antes, viver como Ele deseja que vivamos. E viver como Jesus é aceitar que teremos tribulações, muito mais com Ele do que sem Ele, porque nosso modo de vida começará a incomodar e denunciar o modo de viver de outras pessoas. Pedro, em sua primeira carta diz: Santificai em vossos corações o Senhor Jesus Cristo, e estai sempre prontos a dar razão da vossa esperança a todo aquele que vo-la pedir.  Fazei-o porém, com mansidão e respeito e com boa consciência. Então, se em alguma coisa fordes difamados, ficarão com vergonha aqueles que ultrajam o vosso bom procedimento em Cristo. Pois será melhor sofrer praticando o bem, se esta for a vontade de Deus, do que praticando o mal.

Por isso, Jesus nos envia o Espírito Santo, como Advogado, nosso Defensor, que nos dará palavras e comportamentos acertados nos momentos de maior necessidade. Mas precisamos permitir sua ajuda! Quantas vezes diante de uma atitude o Espírito nos constrange, fala dentro de nós e não lhe damos ouvidos? Aproveitemos suas moções e deixemo-nos guiar para transpareça este poder que Deus tem de modificar nossa vida e a vida daqueles que estão à nossa volta. A caminhada com Cristo não é fácil. O terreno é íngreme e a passagem estreita. Ademais não somos perfeitos e muitas vezes derramamos lágrimas e caímos. Mas nosso Deus não nos condena, nos ajuda enviando-nos seu Espírito, para nos provar que é na nossa fraqueza que Ele revela sua força transformadora. Assim, seguindo a luz de sua Ressurreição e não afastando de nós o seu Espírito de Verdade, nós mesmos passaremos a brilhar para que mais irmãos o descubram e a Ele se entreguem.

Deus abençoe a todos.

Boa semana.

Côn. Gonçalo.